domingo, 6 de novembro de 2016

Au revoir Paris

Olha o frio!!




Nosso último dia em Paris, começou com muito frio e garoa. Embora o sol desse o ar da graça algumas vezes, nossa chegada a Versalhes ficou marcada pela chuva que caiu quando tentávamos passear pelos imensos e maravilhosos jardins. 






Versailhes fica a +- 30 km de Paris, pela via expressa e leva-se para chegar, cerca de 40 minutos, sem trânsito. Nosso guia, um português de Portugal, muito simpático, contou-nos no caminho um pouco sobre esse lindo lugar. 




Versalhes era uma pequena aldeia onde Luiz XIII costumava ir caçar. Lá ele ordenou a construção de um pavilhão de caça para se hospedar. Em 1663 ele conseguiu a escritura das terras, mas somente seu sucessor Luiz XIV "O Rei Sol", foi quem deu inicio a construção do Palácio e transformando o local em sede do governo francês. Assim foi até 1792 com a execução de Luiz XVI após a Revolução Francesa. 

Por que Rei sol? Luís XIV escolhe para emblema o Sol. É o astro que dá vida a qualquer coisa, mas é também o símbolo da ordem e da regularidade. Ele reinou como um sol sobre a corte e sobre a França.

O Palácio de Versalhes possui uma ampla extensão que ocupa mais de 100 hectares, possuindo 700 quartos, 352 chaminés, 1250 lareiras, 67 escadas, 2153 janelas e um parque de 700 hectares.  

Em 1837 o palácio foi transformado em Museu e hoje é um dos pontos mais visitados da França.


A Ala dos Espelhos de Versalhes é um imenso corredor de 73 metros de comprimento, que liga o apartamento do rei ao apartamento da rainha.

São 357 espelhos que refletem a luz e a paisagem de fora. No século XVII os espelhos eram fabricados unicamente na Itália, mas existia um consenso na França de uso de produtos fabricados apenas na França. Assim o arquiteto Jean Baptiste Colbert atraiu para Versalhes vários trabalhadores de Veneza para fabricar os espelhos ali mesmo.

Versailhes é um palácio e por isso cheio de histórias e mistérios. Um lugar que abrigou reis, rainhas, personagens que foram importantes na história da França e do mundo. Vale a pena ir até lá e sentir o clima. 

Paris foi mágico. Agora vamos para Barcelona. 


Nenhum comentário: