terça-feira, 8 de abril de 2014

Conquistas e Derrotas

Desde pequenos, convivemos com essas duas palavrinhas, mesmo ainda sem ter a dimensão exata do que elas significam e qual sua importância na formação da nossa personalidade.
 
  • Quando aprendemos a andar, nossos pais vibram de alegria, fazem uma festa, contam para todo mundo - é a nossa primeira conquista;
  • Quando brigamos com outras crianças na escolinha, por querer o mesmo brinquedo, ou quando e ao passar na frente de uma loja choramos por que queremos algo que nossos pais não podem nos dar - conhecemos tipos de derrota.
  • Já quando Papai Noel realiza nosso desejo, ainda que em 10 prestações, percebemos o sabor da conquista.
Situações assim vão se repetir inúmeras vezes em nossa vida, mas é muito importante saber ajudar nossos filhos a enfrentar cada um desses momentos, a fim de que ao crescer eles saibam lidar com os desafios sem traumas. Os pais podem estimular á persistência e a busca por melhores resultados, sem cobrar a vitória a qualquer preço.
 
Como professora converso sempre com os pais a respeito, pois a sala de aula é um ambiente maravilhoso para testar a habilidade de "ganhar e perder" sem a proteção familiar. A criança tem que aprender a resolver os conflitos  sozinha e ainda fortalecer seu EU interior. Vou dar um simples exemplo que aconteceu dias atrás.
  • Todos os dias, 10 minutos antes da saída, deixo os alunos a vontade, para conversar, ler um gibi, bater figurinha, brincar com massinha, etc., daí que 4 garotos (8/9 anos) estavam batendo figurinha quando um deles após ganhar duas vezes acabou perdendo seu monte. Imediatamente ele quis parar de jogar, chutou e empurrou o amigo que havia ganhado. Chamei a turminha e deixei que cada um explicasse o ocorrido, então disse que "Quando vocês começaram a jogar eu comentei que poderiam ganhar ou perder e que se não quisessem não deveriam entrar no jogo, então aceitaram as regras, agora peçam desculpas e voltem a brincar". Situações assim, parecem bobas, mas ajudam a criança a amadurecer. 
Estamos agora diante de um jovem de 20 anos disputando vaga para um excelente trabalho no mercado financeiro e o outro candidato é contratado. Se ambos aprenderam que ganhar ou perder é apenas parte do jogo, aquele que não conseguiu a vaga ira repensar a situação e batalhar um outro emprego.
 
A alegria de ganhar é maravilhosa, mas no momento da derrota o choro da criança faz parte do aprendizado e devemos ter paciência, não recriminando, mas aproveitando o momento para ajuda-la a refletir sobre essas situações. Jamais apoie seu filho quando ele fez algo errado, apenas por dó de vê-lo chorar, pois com certeza ele irá sofrer muito mais no futuro, diante das dificuldades da vida, afinal o mundo não gira em torno dele.
 
Abraços
Cris Chabes

Nenhum comentário: