quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Mãe ela é legal, mas é brava!!!!!

É curiosos como todo ano nos surpreendemos com a nova turma de alunos, a nova classe.
Claro, todos são diferentes e tem suas histórias de vida.

Igual aqui é o professor, mesmo que se atualizando na área, ele continua a ser a mesma pessoa, com os mesmos valores.

Então, quando começa um novo ano letivo, é hora do professor conhecer a nova turminha e principalmente conhecer um pouco mais do que cada família espera da escola e do aprendizado do seu filho.

Após um mês de aula, já sei quem é o aluno falante da turma, o engraçadinho, o tímido, o amigo, o prestativo, o interessado, o desinteressado, o atencioso e o distraído, o indisciplinado, aquele que só pensa no recreio ou aquele que dorme até o recreio. Todos são diferentes.

E o professor desta turma, quem é?

Eu, sou a professora, que adora recebê-los desejando um bom dia "individual" na fila, que reza toda segunda feira pedindo uma semana abençoada para todas as famílias, que adora conversar antes do inicio da aula,que adora ler e imitar a voz de todos os personagens da história, que participa das atividades nas aulas de arte e educação física, leva para o pátio para brincar, tem um cesto de jogos na sala de aula para a hora da brincadeira no final da aula.

Mas também sou a professora que mantem a seriedade na hora das lições e não dou trela para piadinhas como respostas as perguntas sobre o conteúdo. Exijo silêncio e participação cada um no tempo certo.

Daí os familiares não entendem quando o filho chega e diz:
 "Mãe ela é legal, mas é brava!!!"

Esses dias conversei com uma mãe de aluno que pergunto
_ Meu filho demora pra fazer as lições na classe?
_ Não, ele termina rápido, por que?
      _ Por que em casa ele leva horas para fazer as lições, pois fica brincando.
       _ Mãe, aqui na escola diferencio a hora do brincar da hora de estudar. Não há meio termo, é regra.

Depois fui embora e fiquei pensando em como a família vê a escola e a educação como formação do ser:
 Uma necessidade ou uma mera formalidade!

A criança vai a escola para ........   brincar e aprender
     ou vai a escola para ........          brincar ou aprender.

Acredito que todos serão unanimes em dizer que uma necessidade, mas é necessário que se valorize o papel do professor diante do conhecimento que ele está pronto a compartilhar, senão seu papel será apenas o de mediador de conflitos em sala e a educação continuará perdendo em qualidade.

Não sou a professora que transmite, sou a professora que aprende junto.

Sou a professora que lê, que pesquisa, que busca planejar suas aulas de acordo com os acontecimentos atuais aproveitando o conhecimento prévio dos alunos, mas baseado nas metas estabelecidas pelos MEC e a SEE. 

Sou a professora que cria um blog para manter o pai informado, que o recebe após o meu horário de trabalho tentando adequar o tempo de trabalho dele.

Sou a professora que fala sempre em respeito ao próximo, pois valorizo o bem que cada um carrega e não admito um aluno simplesmente humilhar o amigo e achar isso engraçado.

Sou a professora que negocia: "darei um momento para vocês brincarem ao final da aula se terminarem as lições e se comportarem. 

Sou a professora que vai que compra e dá lápis, borracha, caderno, doce, brinquedos, tinta da impressora para imprimir em casa atividades extras, além dos livros.

Não, Não sou perfeita.
Ainda bem que cometo muitos erros. Assim aprendo com eles.
Volto para casa refletindo sobre minha aula planejada, as atividades não realizadas e aquelas que deram certo, as crianças que atendi e as que não consegui ajudar.
Penso sobre o dia seguinte e os próximos.
Tento, tento muito.
Sou professora e não desisto.

Gostaria que todos os familiares pudessem trabalhar em parceria com o professor. Verdadeiramente.
Dividir, Somar, compartilhar as dificuldades e as conquistas. 
Só quem sairia ganhando seriam os alunos.
E o Brasil de amanhã.




Um comentário:

Cida Kuntze disse...

Cris querida, que bom que estou conseguindo comentar hoje, pois eu passo aqui sempre, mas essa janela não abria.

Compreendo perfeitamente tudo que você escreveu. Como professora (mesmo não atuante a alguns anos) e mãe, sei bem os dois lados.

Minha filha chegou esse ano em casa toda feliz com a nova professora e disse: "Mãe, ela é bem legal, mas não dá moleza." kkkkk. Foram outras palavras, mas praticamente a mesma coisa que disseram de você...kkkk.

Na reunião de pais a conheci, uma jovem bem dinâmica e bem exigente também. Fiquei feliz que a minha pequena está em boas mãos.

Sei que você não é perfeita, nenhum de nós é, mas o que eu sei, é que você é uma SUPER PROFESSORA, sem dúvida nenhuma.

Que Deus te abençoe sempre e que te dê muita sabedoria, amor, paciência e saúde pra ensinar essa nova turminha.

Beijos e tudo de bom amiga.