sábado, 16 de março de 2013

Valorizar meu Brasil


 Este ano recebi em minha turma uma aluna que morava no Tocantins, o mais novo estado brasileiro.
imagens do google
Ela está há poucos meses em São Paulo, morando com os pais e dois irmãos. Parte da família continua no Tocantis com os avós. 
Conversamos muito durante uma aula de educação física, em que ela não fez por estar sem tênis. Adorei nossa conversa. 
A cultura de um povo é marcada por particularidades regionais e nem podemos imaginar essa cultura do ponto de vista de uma criança.
Vou transcrever parte da nossa conversa. Deliciem-se!!!

cupuaçu
  • Você está gostando de São Paulo?
  • Sim, mas é tudo diferente. Aqui não posso correr na rua, não tem espaço e é perigoso.
  • Onde você morava como era?
  • Morava em uma cidade longe da capital do Tocantins, lá não tinha emprego para meus pais e sempre comíamos arroz. Então fomos para a capital morar com minha avó e lá era melhor. Tinha um terreiro cheio de pés de frutas. 
  • Qual sua fruta predileta?
  • Tem muitas, mas sinto falta de "cupu" (cupuaçu). Aqui é muito caro, só tem na feira. Lá eu pegava no pé e fazia um suco.
  • Que gosto tem?
  • Você nunca comeu, prô?Tem um gosto azedinho, mas com açucar é uma delicia.
  • Não!
  • Você conhece "Murici"? (lembrei da personagem da novela, mas não falei)
  • Não! 
murici
  • Nossa. Você conhece "Ingá"?
ingá
  • Não! São frutas também? 
  • Sim e são gostosas. - ela riu. (Ela falou outros nomes que não me lembro, fiquei com vontade!)
  • O que mais você gosta de fazer lá? (tentei mudar o assunto das frutas, para descobrir mais sobre a cultura da região)
  • Gosto de comer bolo da minha avó. 
  • Do que é o bolo? 
  • Ela faz um monte de bolo gostoso. 
  • Se um dia eu for ao Tocantins, quero conhecer sua avó e comer bolo e tomar esse suco.
  • Eu vou voltar para lá no final do ano.
  • Por que?
  • Aqui tem emprego. Meu pai ficou desempregado e já arrumou outro no dia seguinte. Mas é difícil pagar as contas também. Eu moro com meus pais e meus irmãos. Ano que vem eles vão trabalhar e minha mãe não quer que eu fique sozinha. Então vou ficar com minha avó até crescer mais. 
  • Nossa, vou sentir saudades, mas vou poder conhecer o Tocantins se você estiver lá para me receber.
Nossa conversa parou por aí, pois a aula havia terminado.
Eu fiquei com essa conversa no pensamento e no coração. Como uma criança tão pequena (8 anos) vê o mundo tão cheio de significados? Beleza? Simplicidade? Dificuldades? Alegria?
imagem do google
                                                                       
Conhecer e falar sobre as regionalidades aproxima os brasileiros. Aproxima as pessoas. Aproxima o real e o imaginário. Aproxima o aluno e a sua vontade de conhecer. Naquele momento era ela quem estava me ensinando.

Ainda vou desenvolver um trabalho com minha turma sobre isso, mas neste momento estou digerindo toda essa pureza e riqueza do povo brasileiro sobre o olhar tão singelo de uma criança.

imagens do google
                                                        

Beijocas a todos
Cris Chabes

6 comentários:

Mamãe Nádia disse...

Que lindo o post de hoje, amiga!
Realmente temos que nos dedicar a conhecer mais o nosso Brasil, um país tão lindo, tão grande, tão rico!
Será ótimo fazer um projeto assim com seus alunos!
Tenha um ótimo final de semana!
Beijos!

www.asosmamaenadia.com

mundodepalavras disse...

Ownnn... Além da questão da regionalidade, das peculiaridades dessa situação de mudar de cidade em busca de emprego e do impacto que isso traz para as famílias, (passei por isso quando eu era adolescente), me chamou a atenção o carinho e o cuidado que vc tem pelos alunos, a atenção que dá a eles, uma troca que que já não vemos por aí tão facilmente entre alunos e professores. É claro que vc ama o que faz! Lindo isso... bjs Camila Vaz

Toninha Ferreira disse...

Oi amiga!

Venho aqui te deixar uma palavrinha de ânimo para essa semana:
De repente, a vida te vira do avesso, e, assim você descobre que o avesso é o seu lado certo.
Tem coisas na vida que às vezes a gente não perde, a gente se livra.
Boa tarde.

mundodepalavras disse...

Cris, obrigada pelo seu comentário emocionado no meu post do Recanto. Obrigada pelas boas-vindas tbém! Um bjo e um ótimo final de semana... Camila Vaz

Toninha Borges disse...

Que em seu coração reina td aquilo que vc deseja, pois o Senhor te fará como um jardim regado, plantado e cuidado pelo Espírito dele e fluirá como um manancial de "águas vivas" bjinhos vc é muito especial pra mim.... FELIZ PÀSCOA
(`'•.¸(`'•.¸¸.•'´)¸.•'´)
«`'•.¸.¤¤¤¤¤¤¤.¸.•'´»
«`'•.¸.¤(\__/)¤.¸.•'´»
«`'•.¸.¤(=':'=)¤.¸.•'´»
«`'•.¸.¤(")_(")¤.¸.•'´»
«`'•.¸.¤¤¤¤¤¤¤.¸.•'´»
(¸.•'´(¸.•'´`'•.¸)`' •.¸)'

Kellen Bittencourt disse...

Oii Chris, estava aqui circulando no seu blog, e achei o máximo essa conversa com sua aluna, ela falar sobre a diferença observada qto ao cupuaçu, ela deve estranhar mesmo, aqui é caro e lá ela pegava no pé, muito interessante essa diversidade do nosso país! Adorei o relato dela! Emocionante! Bjoooss