quinta-feira, 6 de janeiro de 2011



Falar em dificuldades de aprendizagem é um ato de coragem tanto para os professores como para qualquer profissional que conheça histórias sobre crianças e adolescentes que não conseguem ler ou escrever. É muito comum, ver um aluno trocando letras, não realizar operações matemáticas ou mesmo ficar inquieto na aula, levando a escola a reunir a família com o objetivo de encaminhar essa criança a um especialista.
Durante esses últimos anos presenciei e me permiti realizar esse papel de professor que necessita de um laudo técnico para confirmar uma situação de não aprendizagem do meu aluno. Acredito que em muitos casos este será o caminho, quando após inúmeras estratégias ou recursos e decorridos mais de seis meses,um aluno ainda não conseguir compreender que há 5 dedos em uma mão e 5 na outra, e que a soma das duas resulta em 10. Mas aprendi que é preciso mudar a forma de olhar para seu aluno, independente das suas dificuldades, pois ele mesmo poderá demonstrar como e onde deve ser ajudado.
Penso que a escola é responsável pela aprendizagem de conteúdos específicos na formação dos indivíduos, mas essa aprendizagem começa no cotidiano das relações familiares, quando se faz uma lista de supermercado, recebe-se uma carta, assiste-se a um telejornal, comenta-se uma notícia lida no jornal, etc. A importância dada ao saber no âmbito deste cotidiano proporciona curiosidade e vontade de conhecer na criança.
Quando o professor encontrar em sua sala uma situação de não aprendizagem, deve questionar o que pode estar interferindo neste processo interno da criança que não permite a ela um desenvolvimento igual à maioria. O fato de existirem crianças que não conseguem atingir o mesmo nível de aprendizagem do grupo, não pode ser considerado como um problema isolado ou mesmo como um fator determinante da sociedade em que estão inseridas.
É preciso ter um novo olhar e acreditar que é possível mudar pois toda criança já nasce aprendendo.

Este texto é parte integrante do meu trabalho de conclusão da Psicopedagogia “ A atuação do professor/psicopedagogo frente às dificuldades de aprendizagem em sala de aula” Unisal São Paulo 2009

Beijocas, Cris Chabes

2 comentários:

PSICOPEDAGOGIA disse...

Olá , parabéns pelo blog, sou Valeria Tiusso,Psicopedagoga e mantenedora do site www.psicopedagogavaleria.com.br, onde ministro oficinas de atualização profissional na área da psicopedagogia e comercializo materiais de apoio psicopedagógico e venho lhe propor uma parceria , você faz uma visitinha e se gostar do site disponibiliza em seu blog o logotipo do site que posso lhe enviar, coloca o link em cima e escreve embaixo as palavras Oficinas e Materiais, e em contra partida eu disponibilizo o seu link em meu site na página só de blogs das minhas parcerias, e você concorrerá a um sorteio, todo mês, de uma vaga totalmente grátis até o final do ano, para realizar uma oficina 0n-line com direito a certificado, e ainda terá descontos nas aquisições no site. Caso aceite a idéia, assim que disponibilizar o link me avise para colocar o e-mail no sorteio e disponibilizar seu logo em meu site. E mais te enviar uma senha da oficina de brinquedoteca, totalmente de cortesia.

Abraços

Valeria

11-44853310
11-96850955
11-76209216

Genis disse...

Já comentei o post lá na Ed. em Foco.... mas continuo afirmando.... que orgulho de vc!