terça-feira, 23 de novembro de 2010

Socorro! Está impossível educar o meu filho Armando Correa de Siqueira Neto*

O pedido de socorro emitido pelos pais é compreensível, porém, a criança também grita por ajuda. A birra é uma forma de saciar os prazeres infantis, entretanto, quando atendida, ela agrada e ao mesmo tempo gera um mal estar na criança, que precisa de educação. Quando nos sentimos sem apoio (limites), a angústia é a sensação que expressa tais circunstâncias. O sacrifício de manter a educação é a luta diária que cabe aos pais, e que tem como recompensa a boa formação.

Algumas regras colaboram no processo da educação infantil:
1. Estar disposto a certos sacrifícios.
2. Manter comunicação constante. As conversas fazem parte da educação.
3. Não atender as birras, mas aos pedidos.
4. Expor à criança que só será atendida se pedir em tom de voz normal.
5. Evite usar os personagens de televisão para amedrontar ou punir os filhos, faz mais sentido alegar que são os pais ou cuidadores que estão educando.
6. Não voltar atrás.
7. Oferecer algum tempo diário para se dedicar aos filhos, carinho, brincadeiras, etc.
8. Evite a contradição entre o que é dito pelos pais. A criança se sente confusa e dividida.
9. Os pais são o modelo a ser seguido. Pense que tipo de modelo é o seu.
10. Não acredite que o tempo, por si só, dará jeito na situação. Não haveria sentido em existir a educação. texto na integra

Armando Correa de Siqueira Neto*

Nenhum comentário: