sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Porque tanta violência!

Porque tanta violência!

Todos os dias chego à escola para mais um dia de aula por volta das 7 horas da manhã. Junto com outros professores, organizamos as filas de alunos antes que uma professora suba ao palco e dê início a oração matinal. Na sequência ela canta uma das músicas que as crianças já conhecem ou ensina uma nova.Pouquissímos são aqueles que não cantam junto, ou porque se distraem com alguma coisa ou por vergonha dos amigos.
Até aí nada parece diferente do que já vivemos em outras escolas como professoras ou como alunos.Basta porém que termine o primeiro tempo de aula dando inicio ao intervalo para que os problemas comecem."Criança que chora porque foi empurrada e caiu, outro que está nervoso porque o colega derrubou seu lanche, outra que foi humilhada pela colega, outro que socou o amigo que não queria devolver a figurinha perdida no jogo e assim surgem inumeras ocorrências para serem resolvidas ou contornadas no retorno à classe.
Alguém pode dizer: "mas tudo isso faz parte da infância!"
Seria, se todo esse comportamento não levasse as crianças à atitudes cada vez mais agressivas no decorrer do suas vidas.Exagero? Vejamos: uma criança com 7 anos diz: "não vou fazer a lição e você não pode fazer nada!" ou ainda, "você não pode mandar em mim, nem me colocar para fora, monstrando o dedo num gesto de irreverência!" Essas atitudes também fazem parte da infância?
Então, devemos trabalhar valores na escola? Claro que sim. Todos os anos esse tema faz parte do nosso planejamento. Mas não devemos nos esquecer de que a escola é apenas mais um grupo social, além da familia, na vida das crianças e que nossos valores nem sempre são os mesmos daqueles vividos pelas diferentes famílias dos diferentes alunos. Portanto, mesmo sabendo que "colocar cola na caderno do amigo" pode ser uma atitude de criança, fico assustada quando leio nos jornais ou ouço relatos de amigas dizendo que "seu aluno roubou um aparelho de DVD da escola, quebrou com um chute a porta do banheiro, riscou um carro no estacionamento, pegou o celular na bolsa da professora, agrediu a pontapés uma colega só porque a mesma não estava com a roupa da moda, etc.".
Não sei se toda essa violência desmedida que os noticiários divulgam sobre pais que jogam filhos pela janela, estrupam, queimam e matam vêm do berço (porque esses também não receberam amor e valores suficientes) ou se a nossa sociedade caminha para uma catastrofe em termos humanos.Só sei que estou com medo, muito medo

Nenhum comentário: