terça-feira, 6 de abril de 2010

Valorização por mérito!!!!

Professor trabalha doente?Que “Mérito”!

Tenho lido em diferentes meios de comunicação – jornais, revistas e internet, sobre o programa de valorização ao profissional da educação, denominado “Programa de Valorização por Mérito”, lançado pelo governo de São Paulo. Leia mais
“O professor ganha mais quando está mais bem preparado”.
Linda essa frase. Eu concordo com ela. O professor deveria mesmo ganhar mais por estar bem preparado e ingressar em sala de aula, pronto para realizar o melhor trabalho possível junto a seus alunos. Mas sempre me pergunto: “Quem disse que muitos deles não estão preparados?, ou porque até agora não foram valorizados os anônimos profissionais da educação que ninguém procurou conhecer ou reconhecer seus méritos?
Conheço professores maravilhosos, que são merecedores de aplausos por seus méritos, que empenham suas funções com plenitude e que proporcionam aos seus alunos mais do que a oportunidade de conhecer e aprender, proporcionam afeto, segurança, respeito e por que não incluir material escolar (lápis, borracha, cadernos extras, folhas de sulfite para atividades impressas ou xerocadas, uniforme (doação de camisetas brancas, agasalho no frio, tênis, até mesmo óculos), saúde (pasta de dente e escovas para hora da higiene) presente nas datas comemorativas (páscoa, dia das crianças, natal), pirulitos ou sacolinhas surpresas (para recebê-los no início do ano), prêmios (quando inventam concursos para motivar as crianças a não faltarem ás aulas pelos motivos mais diversos - moradia longe da escola, cansaço, etc) – tudo com recurso financeiro próprio.
Eu mesma, professora da rede estadual de ensino, conclui recentemente a pós-graduação em psicopedagogia tendo como objetivo compreender e amenizar as dificuldades de aprendizagem dos alunos. Já realizei cursos oferecidos pela secretária da educação que contribuíram imensamente com a minha prática em sala de aula. Além disso, iniciei um curso de idioma para otimizar a realização do mestrado (tenho como objetivo dar aula a futuros pedagogos contribuindo com a prática da sala de aula fortalecendo assim a teoria). Reconheço imensamente o mérito dos meus esforços na busca por uma excelência profissional.
Mas, falta mencionar ainda, como diz o titulo deste artigo, aquele profissional que além de todas as qualidades citadas ainda trabalha doente, muitas vezes sem voz, com febre, dor nas costas, nas pernas pelas horas que fica em pé, enfrentando condições insalubres no ambiente escolar, porque como a propaganda diz “As escolas estão em reforma”. Esse também merece ser reconhecido por seu empenho e dedicação.
Não sou contra a realização de cursos para atualizar os conhecimentos destes profissionais, uma vez que as pesquisas realizadas se renovam a cada dia e abrangem um campo vasto em diferentes áreas (psicologia, filosofia, neuropsicologia, psicomotricidade, etc) todas fundamentais para a compreensão do comportamento humano frente aos desafios da aprendizagem.
Mas, realizar uma prova vai comprovar sua competência? Testar seus conhecimentos vai garantir uma aula com didática adequada ou condições físicas apropriadas? Garantir um aumento salarial somente a 20% dos aprovados (já que: “essa limitação decorre da necessidade de tornar o programa sustentável do ponto de vista orçamentário”) vai motivar toda a categoria na busca pela promoção por mérito?
Todos os profissionais da educação merecem ser valorizados pelo simples “mérito” de realizarem seu trabalho com competência e dedicação, mesmo que ninguém os valorize com palavras de agradecimento, mesmo que seu salário não seja justo, mesmo se após atingir a nota necessária os mesmos deixem de receber o aumento por falta de verba suficiente, mas que sejam valorizados, sobretudo por estar presentes a cada dia superando obstáculos e adversidades porque o fazem por AMOR.

Um comentário:

Michele Beatriz Schmitz disse...

Professora Cris!

Li seu post e percebi que és uma profissional apaixonada pela educação. Também sou e me identifiquei com vários trechos do seu texto. Me fez lembrar os "pequenos-grandes" detalhes que fazemos por nossos alunos, além de nossa função que é educar.. mas quantas vezes levei, além de propostas para que "aprendam" de verdade, agasalhos, materiais, atenção, enfim: AMOR!
Temos uma iniciativa que creio que você ou colegas seus possam divulgar práticas educacionais no intuito de compartilhamento, colaboração. Chamamos de "Deu Certo". Além da valorização por meritocracia, a web e estas publicações "valorizam" práticas que as vezes ficam totalmente anônimas. Segue a URL, há um formulário para envio. www.tfedu.com.br
Abraço. Prof. Michele http://twitter.com/micheleschmitz