segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Lição de Casa. Ufa!!!


Lição de casa sempre foi entendida pelo professor como um complemento da lição de classe, mas pelo aluno nem sempre essa visão é clara. Algumas vezes ele recebe a tarefa a fazer sem muito entusiasmo.
Na última reunião de pais, falei do desafio e responsabilidade das crianças do 3o. ano com relação as lições propostas.


Exemplo: Estamos trabalhando com as questões ortográficas do uso da letra R nas palavras na classe. Na leitura de um texto e procurando as palavras em grupo as crianças perceberam que o R se posiciona em diferentes lugares da palavra e tem sons diferentes. Montamos um painel com regras definidas pela classe para cada som. TRABALHO = R no meio da sílaba; CORRER = os dois RR dão um som forte; CADEIRA = R na sílaba final da palavra; RECADO = R na primeira sílaba; FORTE = R no final da sílaba; PARADO = R na sílaba do meio da palavra. De lição de casa eles deveriam pesquisar outras palavras para colarmos no painel. Daí veio uma das muitas desculpas: "Professora não fiz por que não achei nenhuma palavra"; Escrevi essa frase na lousa e perguntei aos alunos se nas palavras escritas havia o R. Todas perceberam que sim. Então pedi para que observassem o ambiente da sala e nomeando os objetos me dissessem quais tinham o R. O mesmo foi feito lembrando dos objetos que podem compor uma cozinha e outros cômodos da casa, demonstrando que nem sempre precisamos de livros e revistas para fazer uma tarefa de casa. 

Voltei para casa pensando em como abordar o assunto com os alunos após a reunião, já que nem sempre os pais podem ajudar: "Professora não tenho tempo de fazer as lições com ele, ou professora eu não tenho muitos livros para pesquisa em casa". 
Comecei a ler a respeito e encontrei um material muito interessante na Revista Nova escola que vou usar para fazer um debate sobre o assunto com os meus alunos. Depois conto o resultado para vocês. 

Outra abordagem muito interessante que li vou compartilhar parte aqui

"A complexidade das tarefas e o tempo necessário à sua realização têm de estar de acordo com a idade, .......", defende a professora Maria Eulina. Se você pede como tarefa a leitura de um texto que foi entregue em sala, a garotada não requer ajuda para cumprir o combinado. No entanto, uma pesquisa sobre um tema específico, sem indicação de materiais de consulta e de explicações sobre os procedimentos a adotar para realizá-la, provavelmente vai demandar o socorro dos pais - o que não é recomendável. 

Conhecendo bem as condições de vida.........  Eles possuem em casa um espaço propício aos estudos, com uma mesa, boa iluminação e sem interferência da TV, por exemplo? Precisam comprar algum tipo de material?... Como é a rotina deles fora da escola? Saber se eles têm livros e acesso à internet é outra tarefa sua. 


A correção da lição também é algo muito importante para o aluno. Ele precisa saber se está realizando tudo de acordo com o solicitado pela professora. Eu tenho o hábito ( estou com 3o. ano) de fazer a correção coletiva no dia seguinte e tem funcionado bem. Eles leem  vão ao quadro resolver as questões, compartilham a maneira como resolveram as questões. 


E você professor, como você planeja a lição de casa? Que atividades você costuma pedir para que os alunos realizem em casa? Como você corrige essa tarefa? 


Se você é pai de aluno como vê essa questão? Que sugestão tem para nos dar?



Dois pais da minha sala deram como sugestão para poder localizar as páginas do livro que deveriam ser realizadas, um formulário na contra capa com o número das páginas e a data de entrega. Isso facilitou a localização da tarefa.

Conte-nos sua experiência! 

Abraços 
Cris Chabes

domingo, 6 de novembro de 2016

Guia de Estudos para a criança e a Família

Cartilha da Família 
O fim do ano se aproxima e agora todos começam a se preparar para as últimas avaliações antes das férias. 

O mês de novembro passa rápido e temos +- 15 dias de dezembro, porém antes que o ano termine, é preciso conversar com as crianças sobre essa etapa final do curso. É hora de tirar dúvidas, de orientar-se para as avaliações finais e preparar-se para o novo ano. Mas de que forma a criança estuda e ela tem a ajuda e orientação da família neste momento?

Pensando nisso o site Educar para Crescer, elaborou uma Cartilha de Orientação para ajudar a família neste momento. É possível baixar em seu computador e imprimir, tendo o guia sempre em mãos ou colado em um mural próximo ao local de estudos . 

Mesmo cansados das lições de classe, casa, trabalhos e estudos é muito importante manter a turma motivada, para isso Separe 10 ou 15 minutos antes do intervalo para o lanche ou ao final da aula para um "tempo livre" em que eles possam conversar, se movimentarem pela sala, leiam gibis, etc, mas avise-os logo no início da aula sobre esse tempo, assim todos já sabem antecipadamente que terão um descanso. 

Educar para Crescer 

No Educar para Crescer vocês também podem encontrar outras dicas super importantes de como participar da educação de seus filhos. 

Educar para Crescer 

Beijocas
Cris Chabes

Afinal, as redes sociais são amigas ou inimigas do professor? |

Nova Escola

Acredite: elas podem ser suas grandes amigas. Uma possibilidade é você usar espaços como o Facebook para se comunicar melhor com os seus alunos (desde que eles tenham idade para estar lá, claro). Você pode lançar desafios, promover debates virtuais, disseminar mais facilmente suas sugestões de leitura ou simplesmente se manter atualizado sobre o que eles pensam sobre os mais diversos assuntos.


Leia Mais em Nova Escola 



Au revoir Paris

Olha o frio!!




Nosso último dia em Paris, começou com muito frio e garoa. Embora o sol desse o ar da graça algumas vezes, nossa chegada a Versalhes ficou marcada pela chuva que caiu quando tentávamos passear pelos imensos e maravilhosos jardins. 






Versailhes fica a +- 30 km de Paris, pela via expressa e leva-se para chegar, cerca de 40 minutos, sem trânsito. Nosso guia, um português de Portugal, muito simpático, contou-nos no caminho um pouco sobre esse lindo lugar. 




Versalhes era uma pequena aldeia onde Luiz XIII costumava ir caçar. Lá ele ordenou a construção de um pavilhão de caça para se hospedar. Em 1663 ele conseguiu a escritura das terras, mas somente seu sucessor Luiz XIV "O Rei Sol", foi quem deu inicio a construção do Palácio e transformando o local em sede do governo francês. Assim foi até 1792 com a execução de Luiz XVI após a Revolução Francesa. 

Por que Rei sol? Luís XIV escolhe para emblema o Sol. É o astro que dá vida a qualquer coisa, mas é também o símbolo da ordem e da regularidade. Ele reinou como um sol sobre a corte e sobre a França.

O Palácio de Versalhes possui uma ampla extensão que ocupa mais de 100 hectares, possuindo 700 quartos, 352 chaminés, 1250 lareiras, 67 escadas, 2153 janelas e um parque de 700 hectares.  

Em 1837 o palácio foi transformado em Museu e hoje é um dos pontos mais visitados da França.


A Ala dos Espelhos de Versalhes é um imenso corredor de 73 metros de comprimento, que liga o apartamento do rei ao apartamento da rainha.

São 357 espelhos que refletem a luz e a paisagem de fora. No século XVII os espelhos eram fabricados unicamente na Itália, mas existia um consenso na França de uso de produtos fabricados apenas na França. Assim o arquiteto Jean Baptiste Colbert atraiu para Versalhes vários trabalhadores de Veneza para fabricar os espelhos ali mesmo.

Versailhes é um palácio e por isso cheio de histórias e mistérios. Um lugar que abrigou reis, rainhas, personagens que foram importantes na história da França e do mundo. Vale a pena ir até lá e sentir o clima. 

Paris foi mágico. Agora vamos para Barcelona. 


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Um "triunfo" de dia!! E para fechar a noite após o cabaré ....

No metro rumo ao Arco do Triunfo
Hoje o dia foi longo e corrido, mas delicioso.
Começamos com uma visita ao Arco do Triunfo. Todos os monumentos em Paris, parecem gigantes e esse não seria diferente. Com 50 metros de altura,foi construído em comemoração às vitórias militares do Napoleão Bonaparte. 
A obra detém, gravados,
os nomes de 128 batalhas e 558 generais. Em sua base, situa-se o Túmulo do soldado desconhecido (1920). Uma homenagem a todos os soldados que morreram em guerras e foram enterrados sem que seus corpos possam ser identificados. 
Um guia nos contou que Napoleão, ao retornar de uma batalha soube que o arco ainda não estava pronto e por isso acampou com sua tropa nos arredores de Paris, em pleno frio europeu, para chegar em grande estilo e neste período muitos soldados morreram de fome e frio. Será? Loucura ou não a obra é realmente grandiosa e magnifica. 


Impossível é fotografá-lo todo de perto. Então descemos a Champs Èlysées, e o avistamos de longe. Não importa é lindo de qualquer jeito. 





 



Neste dia fomos a tarde ao Palácio de Versailhes que vou contar no próximo post. 
A noite ao Cabaret Paradis Latin, com convite previamente comprado com a CCHotels.  
Um belíssimo show acompanhado de um delicioso jantar. Tré Chic!

Abaixo antes de sairmos uma foto no hotel e ao lado meu "lord" amado lendo o cardápio, já que eu não enxergo. O cardápio vem com menu em Inglês, Francês, Espanhol, Português e uma idioma que não identifiquei. 


 


Após um copo de vinho e um de champagne fiquei alegrinha. Dai parei, para não sair da linha. kkkkkk

E Para fechar a noite (Paris a noite é lindíssima)  a Torre Eiffel iluminada! 


 No próximo post, o inesquecível passeio aos jardins de Versailhes e seu palácio.